Best Of Música - notícias - morreu o cantor mexicano José José. Tinha... 71 anos


por Carlos Bonaparte a 29-09-2019 às 21:36

A diferença entre "amar e "querer"


Morreu na tarde de ontem, 28 de Setembro, o cantor José José. Galarduado artista em termos nacionais (México) e internacionais. Lutava contra um cancro no pâncreas desde Outubro de 2017. Faleceu na tarde de ontem em Homestead, no estado Florida, nos Estados Unidos da América.

O artista



José Rómulo, mais conhecido por José José, dono de uma voz poderosa, nasceu no dia 17 de Fevereiro de 1948. Estreou-se na televisão no ano de 1965, então com 17 anos, no programa Orfeón A Go-Go. O nome do programa esta va relacionad com a editora Orfeón, na qual gravou o seu primeiro trabalho discográfico, um 45RPM com duas versões em espanhol de temas estrangeiros, como Ma Vie de Alain Barrière. Apresentou-se então como Pepe Sosa, em homenagem à sua fonte de inspiração, o cantor popular Pepe Jara. Esta apresentação durou apenas poucos meses, já que na noite da Ciudad de México, a sua presença diluiu-se com a do trio onde tocava em bares.
Mas tudo começa bastante antes. A carreira de José José começou volvidos pouco mais de 3 anos após o seu nascimento. Influenciado pela veia artística do seu pai, José Sosa Esquivel e que era um portentoso tenor, assim qualificado pelos meios de comunicação da época, bem como da sua mãe, a pianista Margarita Ortiz, José José começou a cantar no coro da escola onde estudava, corria o ano de 1951. Sempre foi muito tímido e poucos pormenores da sua vida privada se sabem. Já da artística, deu muito que falar.
Gravou o seu primeiro disco em 1969 como José Sosa, para depois adotar o nome final de José José. Um por si, outro pelo seu pai, quem havera falecido 1 ano antes, devido ao consumo de álcool. Mais à frente, este seria o grande detalhe que saberíamos da vida de José José, quem logo no ano de 1970 se começoua deparar com ele.
E assim foi ao longo da sua vida. Apesar de relativamente controlado, voltou a cair em 1990, mas desta vez mais profundamente. Ao longo destes anos alcançou um êxito internacional, dos maiores que um artista musical em toda a hispanofonia já havera alcançado. Especialmente o álbum de 1983 gravado em Espanha, chamado Secretos, do qual se estraem temas como "Lo dudo" ou "Lágrimas". Este álbum vendeu, no total, mais de 11 milhões de cópias.



José José era também um artista incançável. Demasiado incançável. Parafraseando o cantor "António Variações", "quando a cabeça não tem juízo" "o corpo é que paga". E assim aconteceu. José José teve de ser intervencionado por mais do que uma vez às cordas vocais. Em 2001 sofreu um derrame pleural que lhe afetou de forma extrema a sua voz. Mesmo assim gravou o seu 30º e último álbum de originais. Tudo o que mais foi lançado foram álbums comemorativos.



Curiosidades


Teve breves passagens pelo cinema. Filmes que não foram um grande êxito, mas que serviram de complemento à sua carreira, e ao deleite dos fãs em vê-lo no grande ecrã... e no pequeno também. Em 2006 participou na novela "La Fea Más Bella" da rede Televisa, como Erasmo Padilla Galarza. Foi uma das novelas mais vistas em toda a história do México. Acabou em 25 de Fevereiro de 2007, e foi exibida, como de costume, no Canal de Las Estrellas, propriedade da rede Televisa.
Outro dos grandes compositores da época, Camilo Sesto, foi um dos artistas que escreveu para José José. Faleceu no dia 8 de Setembro, pouco tempo antes de José José (ver notícia).


Comentar





Voltar página anterior